Olá! Sou a Nathália Ferreira. Criei esse blog para mostrar um pouco do que gosto, como: fotografia, decoração, filmes, livros, seriados, músicas e várias outras coisas que vocês verão com o tempo. Futura designer de interiores e/ou fotógrafa. SEJAM TODOS BEM - VINDOS.




Facebook

Pesquisar

Instagram

Veja Também!



Conto de fada dos dias atuais

Princesa Aurora, seriado Once Upon a Time. Foto: tumblr.

Dizia a lenda que na da torre mais alta do reino se encontrava adormecida uma jovem princesa que fora amaldiçoada. O feitiço só poderia ser quebrado quando um príncipe lhe desse um beijo de amor. Era um pouco improvável que alguém lhe desse um beijo de amor se levarmos em conta que, para que haja amor, deve haver convívio, as duas pessoas devem, pelo menos, se conhecer.
Certo dia, um destemido príncipe decidiu que iria correr riscos e subir até a maldita torre só para tirar a limpo essa história. Havia dois riscos: o dragão que guardava a torre e o fato de que a princesa poderia ser um dragão. Mesmo assim o príncipe vestiu sua armadura, se pôs encima de seu robusto cavalo branco e partiu em busca do desconhecido.
Foram dias de sofrimento, a localização do castelo era incerta, uns diziam que ficava nos vales outros diziam que ficava nas montanhas. Se lhe interessa saber, são um bando de mentirosos! Depois de procurar em seu GPS o príncipe descobriu que, na verdade, o bendito castelo ficava logo ali, em Serafina Corrêa. Quando finalmente chegou ao seu destino tinha a tal luta com o dragão, essa parte até foi fácil se levarmos em conta que era um dragão gordo, preguiçoso e que fora amaldiçoado pela tal bruxa (que são sempre as culpadas de tudo) para ficar na redondeza, em momento algum foi mencionado que ele deveria lutar. Essa parte foi fácil, agora era só torcer para que a princesa realmente fosse uma princesa. Subiu a escadaria de pressa, dois degraus por vez, chegou a porta e pensou “preciso bater?”, mas dai lembrou que ela estava adormecida então, provavelmente, não estaria nua. E se estivesse, não tem problema nenhum poxa, ele poderia aguentar vê-la sem o vestido, seria um trabalho a menos já que, convenhamos, era uma tortura tirar o maldito espartilho.
Ele entrou no quarto e a viu, deitada em uma cama que, não se sabe como, não estava cheia de poeira (antes da maldição a princesa devia ter contratado uma boa doméstica). Aproximou-se da cama meio receoso. “Seja bonita, seja bonita, por favor, seja bonita”. Então ele a viu, não posso dizer que ela era bela dormindo porque na posição em que ela estava parecia um cadáver, mas era ‘pegável’, admito. O príncipe pensou várias vezes antes de se aproximar e dar um beijo caloroso, porém relutante. E nada. “Está tirando com a minha cara? Não é possível. Essa rapariga não...” ela então abriu os olhos, olhou ao redor, tocou seu corpo com uma mão como se dissesse “acho que perdi uns quilos enquanto hibernava” e se pôs a levantar.
“Ok amigo, você me despertou do tal sono amaldiçoado e bla bla bla, não precisamos entrar em detalhes” ela estava de costas para o príncipe, arrumava o vestido impacientemente “mas isso não significa que somos alma gêmea ou que precisamos ficar juntos” então ela virou e o viu. Sua reação foi tipo “mother fucker, achei que ele ia ser feinho”. Os dois ficaram nessa de só se olhar até que ela disse “mas caso você queira algo mais sério acho que posso pensar no assunto”.
E essa é a história de um casal perfeito que até meia hora atrás não sabiam da existência um do outro. Se existe amor à primeira vista eu não sei, mas o contato físico era agradável e isso é o que interessa.


E VIVERAM FELIZES ATÉ QUE O TINDER APARECEU.


            

Nenhum comentário:

Postar um comentário